Estratégia para a Quinta do Braamcamp: a posição da Plataforma Cidadã Braamcamp é de Todos:

Porassociacaobraamcamp

Estratégia para a Quinta do Braamcamp: a posição da Plataforma Cidadã Braamcamp é de Todos:

Documento produzido no seminário realizado no dia 6 de Junho de 2019

“Ainda vamos a tempo de fazer a diferença se começarmos já a agir do nível local ao global, através de mudanças transformativas que permitam conservar, restaurar e usar a natureza de forma sustentável”

(Robert Watson, presidente da Plataforma Intergovernamental de Política Científica sobre a Biodiversidade e Serviços dos Ecossistemas, IPBES, das Nações Unidas)

O Seminário “Que Futuro para a Quinta do Braamcamp?” foi organizado pela Plataforma Cidadã Braamcamp é de Todos, com o objetivo de dar a conhecer à população a Quinta do Braamcamp, a sua história e património cultural e ambiental, de contribuir para explicitar a importância da Quinta do Braamcamp para o desenvolvimento futuro do Concelho do Barreiro, e também de incentivar a mobilização dos barreirenses para impedir a sua venda.

É o entendimento desta plataforma que a Quinta do Braamcamp, integrada no Sitio de Interesse Municipal (SIM) Alburrica/Braamcamp, devidamente classificado, é parte de um rico e vasto património ambiental, paisagístico, piscatório, naval e moageiro e representa uma parcela da história do Barreiro, articulando-se com muitas outras zonas e quintas estuarinas do Tejo.

A riqueza da sua biodiversidade e a sua fragilidade, que resulta das atuais perspetivas sobre as alterações climatéricas e ambientais, impõem cuidados redobrados que só os interesses públicos estão em condições de representar e salvaguardar.

A Plataforma Cidadã Braamcamp é de Todos constituiu-se em 31 de março de 2019, numa Assembleia Cidadã, na sequência de diversas ações de pessoas, constituídas ou não em movimentos, e também da vontade de associações representativas de interesses coletivos de natureza social, ambiental e patrimonial.

A Plataforma é um espaço de encontro das várias vontades, opiniões, sensibilidades e preocupações e pretende, essencial, mas não exclusivamente, alargar o debate, a participação e envolvimento dos cidadãos sobre o futuro da Quinta, que passou a incorporar, em 2017, o património municipal.

A Quinta do Braamcamp é um território que merece uma ampla reflexão de todos, feita com serenidade e respeito e com base em estudos que em muitos casos já estão disponíveis.

Como denominador comum, a Plataforma posiciona-se de modo a considerar que a venda da Quinta, para satisfação de projetos privados comerciais, é contrária às necessidades da população e do concelho. O projeto para a Quinta do Braamcamp deverá resultar, sempre, do debate que se faça e da vontade dos Barreirenses que são os principais credores do espaço. Eles e as populações circundantes. O futuro julgará qualquer opção que resulte de um aproveitamento apressado, não participado e que represente um atropelo às potencialidades daquele território.

A Plataforma Cidadã Braamcamp é de Todos entende assim que a opção que tem vindo a ser publicitada pelo atual executivo municipal, que consiste na venda total do território a investidores privados e na autorização para a construção de um máximo de 184 fogos junto às margens do rio e em zona de risco de inundação resultante das alterações climatéricas previstas, não garante o respeito pelos princípios da sustentabilidade e do interesse público que devem nortear qualquer intervenção num território com elevado grau de vulnerabilidade.

De igual modo, não constatamos por parte do executivo municipal o reconhecimento do potencial de desenvolvimento inovador daquele território para a cidade, e muito menos a sua integração estratégica em termos de desenvolvimento urbano sustentável e de bom ordenamento do território. Pelo contrário, das declarações públicas, das sessões de câmara e das reuniões com a Plataforma, o que a posição do executivo sugere é uma visão casuística oportunista, em termos de negócio e não fundamentada em quaisquer estudos estratégicos, ambientais ou urbanísticos que uma intervenção deste género exige.

A Plataforma Cidadã Braamcamp é de Todos e outras organizações da sociedade civil tem sido as únicas, ao longo deste processo, a promover o debate informado, a trazer os especialistas e a refletir de modo sério sobre este território. A informação que daqui tem saído apenas reforça a nossa convicção de que a venda da Quinta do Braamcamp é um erro histórico que terá graves consequências para o futuro da nossa cidade.

Deste modo, a Plataforma continuará não apenas a abrir o debate com a população como a utilizar todas as formas de luta ao nosso dispor, na defesa da Quinta do Braamcamp como espaço ambiental e culturalmente sustentável, ao serviço de todos os barreirenses e do desenvolvimento do concelho.

Plataforma Cidadã “Braamcamp é de Todos”

Sobre o autor

associacaobraamcamp administrator

Deixar uma resposta